Levando seu pet com você…de ônibus ou avião!

Padrão

No post anterior , falei do transporte dos animais no carro, mas muitas pessoas querem levar seu bichinho pra outros destinos ,necessitando para isso o transporte em ônibus ou avião.

A primeira coisa a se fazer é ligar nas companhias aéreas ou rodoviárias e se informar das exigências e documentos necessários para o embarque do animal. Cada uma segue um protocolo. Existem linhas rodoviárias que permitem que você carregue seu animal junto com você se ele tiver até 8 kilos e outras permitem apenas animais menores. Companhias aéreas geralmente levam seu animal junto com você se ele tiver até 5 kilos, senão ele terá que ir no compartimento de bagagem, o que a princípio pode parecer um horror, mas temos muitos relatos de animais que foram transportados junto com as bagagens e foram bem tratados. Mas atenção sempre ligue na empresa que irá transportar seu bicho. Infelizmente algumas recebem muitas reclamações  de casos de maus tratos e até de que por descuido deixaram o bicho escapar. Na dúvida, pesquise na internet, você sempre irá encontrar por lá relatos positivos ou negativos sobre a empresa.

Hoje em dia, segundo o Ministério da Agricultura,os documentos necessários para o trânsito de animais pet, são o atestado de saúde animal, emitido pelo Médico Veterinário e com validade de 10 dias da data da viagem, acompanhado da carteirinha de vacinação que deve estar com as vacinas atualizadas. Algumas empresas pedem que o animal receba uma pequena sedação. Se informe com seu veterinário, pois existem sedativos orais que podem ser dados nas viagens.

Se tiver alguma dúvida, só falar comigo aqui na fan page Isa Casline Veterinária

viagem-aviao-animal-estimacao-2

Viajando com seu peludo….de carro!

Padrão

Este é mais um post da série “posts de final de ano”.

Anteriormente eu falei sobre hotelzinho para animais, uma opção bem procurada para quem vai viajar e deixar seu animal sendo cuidado por pessoas responsáveis. Mas, tem aquelas pessoas que podem e não abrem mão de levar seu peludo junto nas viagens.

Hoje em dia já existem alguns hotéis que aceitam animais, para nossa alegria. E também pessoas que levam os companheiros tanto  para casas na praia, chácaras e etcs. E como proceder nesse caso? Algum cuidado especial?

Bom, primeiro deve se pensar na segurança deles. O certo é você tratar de levá-lo dentro de uma caixa de transporte, que tenha um espaço mínimo para ele ficar confortável e nunca solto no carro , pois isso pode claramente comprometer a segurança de todo mundo que está dentro do veículo, caso o animal se assuste por algum motivo e chegue a atrapalhar o motorista. Vende-se também em pet shops um cinto de segurança para cachorros , que você pode acoplar no cinto de segurança no carro e desta forma ele ficará seguro e protegido no banco de trás (indicado para cães de grande porte). Para gatos, o recomendável é mesmo a caixa de transporte. Fora que é proibido viajar com animais sem estarem sendo transportados adequadamente; você pode ser parado pelo policial rodoviário e isso gerará multa e pontos na carteira. O animal deve estar sempre viajando com a carteira de vacinação em dia, assim como com a vermifugação em ordem.

Lembrando que quem leva cachorros pra praia deve protegê-los contra o verme do coração que é transmitido por um mosquito litorâneo. Você também encontra esses produtos em lojas veterinárias.

Procurar nunca viajar com o animal em altas temperaturas do dia, para não ocorrer perigo de  hipertermia. Levar sempre água para oferecer durante o caminho, e fazer paradas para que o animal possa se exercitar um pouco. Existem ainda animais que sentem muitos enjôos andando de carro, e eu recomendo alguns medicamentos para que eles não sofram esse desconforto durante o percurso, mas o correto é não oferecer comida nem na hora, nem durante a viagem. Há ainda alguns calmantes fitoterápicos para os mais estressados ou ansiosos e devem ser dados dias antes da viagem.

bolsa-caixa-transporte-passeio-tam-p-ces-gatos-coelhos-14184-MLB214082554_2323-F bigPhoto_0 gulliver_1_900

Para dúvidas sobre medicamentos a serem levados ou usados durante a viagem, consulte seu veterinário.

Se tiver dúvidas, entre em contato comigo pela minha fan page Isa Casline Veterinária

Vou viajar no final do ano! O que fazer com meu bichinho?

Padrão

Dezembro chegou e com ele quero iniciar uma série de posts sobre dúvidas comuns nessa época. A primeira delas é aonde deixar, em segurança, seu bichinho pra ser cuidado nessa época.

Realmente esse é um assunto sério, já que existem inúmeros locais que oferecem o serviço de hotel, mas nem todos são confiáveis. Existem por aí histórias muito tristes de bichos deixados em hotéis pelos seus donos nessa época e que quando voltaram , tiveram a notícia de que seu cachorro havia simplesmente fugido e desaparecido. Como é o caso do Nino, que desapareceu do hotel onde estava hospedado, na região de Campinas, no dia 31 do ano passado. A família ainda o procura.

Em compensação, existem muitos lugares confiáveis, com pessoas de extrema responsabilidade e que tem muito afeto pelo animal; ele com certeza sentirá sua falta nesse período, mas que será menor se tiver alguém que pode dar carinho nesse momento. Para gatos, eu recomendo os serviços de dog sitter, que são pessoas que vão até sua casa, quantas vezes por dia forem combinadas e lá cuidam do seu gato, ao invés de tirar o gato da casa, o que com certeza é um stress gigante pro bichano. Para pessoas que gostarem desse serviço para seu cão, os dogs sitters olham também cães em casa.

Eu indico dois locais, aqui na Zona Norte de Sao Paulo, que super recomendo.Conheço os donos há muito tempo e são pessoas extremamente responsáveis. Muitos clientes já passaram por eles e até minhas cachorras e gatos já foram cuidados por eles ( os gatos, claro, em casa) .

Um deles é o Hotel para Cães VG, onde o proprietário é o Sergio, que também é Dog Walker ( passeador de cães) e adestrador.

O outro é o Jucão hotel e banho e tosa, de propriedade do João Carlos (Juca) e Fábio Henrique , que oferece também serviços de banho e tosa e o dog sitter.

Se forem viajar, podem então entrar em contato com eles. São ótimas pessoas e os locais são limpos, espaçosos e bem cuidados.

Qualquer dúvida, entre em contato comigo , pela fan page Isa Casline Veterinária

1003141_488243711260123_608100753_n

1499604_567320603349637_1051397069_n

Plantas tóxicas aos animais

Padrão

Muita gente me pergunta sobre as espécies de plantas que podem ser consideradas tóxicas tanto aos cães, como aos gatos. E muita gente também não sabe que existem plantas bem comuns que temos em casa que podem apresentar sérios riscos ao seu amigo.

O problema é bem comum, já que os animais mastigam as plantas , seja por disfunção digestiva ou até mesmo por tédio.

Quando a planta é inofensiva, observaremos apenas vômitos com restante de folhas mastigadas ou até pelos no caso de gatos, já que nesse caso o animal simplesmente mastigou a planta porque sentia algum desconforto abdominal.

Já no caso da planta que faz mal, os sintomas serão: salivação intensa, dor abdominal, tremores e até hemorragias, evoluindo para dificuldade respiratória e até óbito, dependendo da quantidade ingerida de folhas.

Já presenciei casos de gatos com mais idade que ingeriram plantas nocivas e chegaram a apresentar quadro de insuficiência renal aguda, levando depois ao óbito, por isso todo cuidado com a planta que irá se colocar no mesmo espaço que o animal.

A mais famosa das tóxicas e que muita gente tem em casa é a Comigo – ninguém – pode.  A ingestão de pequenas porções dessa planta já causa um estrago enorme, como cólicas abdominais, náuseas e vômitos e também diarréia sanguinolenta.

Tá aqui a famosa!

Tá aqui a famosa!

Outra muito comum nas casas é a Azaleia. Ela causa alterações digestivas também e até alterações cardíacas.

Muito bonita a Azaléia, desde que esteja longe do seu bichinho!

Muito bonita a Azaléia, desde que esteja longe do seu bichinho!

Na lista das perigosas também temos a Mamona, a Babosa , a Costela de Adão e a Hera, que são também facilmente encontradas como plantas de ornamentação em casa. Causam também salivação, vômitos, pruridos e até desordens neurológicas.

Costela-de-adão

Costela-de-adão

Mamona

Mamona

Hera

Hera

Babosa

Babosa

E temos também a que parece bem inofensiva mas não é. Nossa querida Samambaia! Ingerida pelos bichos , pode causar até perda aguda de sangue.

Samambaia

Samambaia

Existem muitos outros tipo de plantas, principalmente as ornamentais que tem potencial extremamente tóxico, então quando quiser ter uma delas em casa , é sempre bom dar uma pesquisada antes.

A maioria das intoxicações por plantas em cães e gatos não tem mortalidade alta, desde que o tratamento seja precoce. Por isso, se você suspeitou de que seu amigo tenha mastigado alguma planta na sua casa e esteja intoxicado, nada de ficar dando leite, que é uma prática comum que as pessoas fazem, mas sim, corra pro seu veterinário!

Se gostou do post ou tenha alguma dúvida, entre em contato comigo aqui ou pela fan page Isa Casline Veterinária