O uso de anticoncepcionais em cães e gatos

Padrão
Tomzinha se recuperando muito bem após castração. Seu útero estava tomado de pus, devido ao uso de anticoncepconal para gatas.

Tomzinha se recuperando muito bem após castração. Seu útero estava tomado de pus, devido ao uso de anticoncepconal para gatas.

Resolvi escrever sobre esse assunto essa semana porque chegou a mim , na semana passada, uma cirurgia de castração de uma gatinha, que fui buscar no local onde ela vive e trouxe até a clínica para ser feito o procedimento. Essa gatinha vive pelos telhados de uma cliente minha, mas não é de propriedade dela. Ela me relatou ser de uns vizinhos, que deixam os gatos todos soltos e sem castrar, mas por essa frequentar sempre a casa dela e estar no cio, cruzando com outros gatos que vivem nas ruas, essa minha cliente resolveu então custear a castração, penalizada com a gatinha.

Durante a cirurgia , percebi o útero extremamente aumentado de tamanho , contendo pus em seu interior, ou seja, a gatinha estava com uma séria infecção uterina, que poderia ainda comprometer o sucesso do procedimento, já que ela corria o risco dessa infecção se espalhar, mesmo sendo feita a retirada do útero. E o q eu desconfiava me foi dito depois. Minha cliente disse que sabia que eles davam sempre anticoncepcionais nas gatas deles, já que é de baixo custo e eles não estavam dispostos a castrar os animais.Essa gatinha já tinha sofrido um aborto antes, provavelmente causado pelo uso também do anticoncepcional.

O anticoncepcional é vendido a baixo custos em lojas de ração, pet shops e agropecuárias e ainda sem prescrição médica. Ele acaba suprimindo a fase do cio, mas muita gente acaba aplicando com o animal no cio, ou mesmo já prenhe, fazendo com que ocorra morte fetal e posterior infecção. Existe um tempo certo de aplicação, mas já se sabe que mesmo sendo aplicado no período correto, o anticoncepcional é o maior responsável pelo aparecimento de tumores de mama e piometras em cães e gatas( como nessa descrita no caso clínico). Hoje em dia, não há mais razões para se usar anticoncepcionais, já que o próprio centro de controle de zoonoses daqui de São Paulo, faz o procedimento gratuitamente em clínicas credenciadas, além de outros locais fazerem também campanhas de castração a baixo ou nenhum custo. A castração é a melhor forma de se evitar a gravidez indesejada no seu bichinho, além de prevenir o aparecimento de tumores de mama.

A Tomzinha, gatinha que castrei, passa bem! Mas o final dessa história poderia ter sido outra, já que em gatos é mais difícil de percebermos sinal de infecção uterina. Sorte dela que teve a boa vontade e carinho da minha cliente, que sempre prezou pela castração dos animais e nunca quis saber de usar anticoncepcionais nos seus animais.

Dúvidas?? Me escreva aqui no blog ou na fan page Isa Casline Veterinária.

Cães e gatos podem conviver harmoniosamente?

Padrão

gatos-e-cachorros-podem-conviver-gato-miando-72

Por muito tempo, se difundiu essa cultura de que cães e gatos eram verdadeiros inimigos. Bom, na minha casa , desde pequena, nunca foi assim, porque as duas espécies sempre conviveram muito bem, mesmo quando um ou outro estava chegando ao território depois de um tempo. É claro, que existem cães que não aceitam gatos, assim como não aceitam outras espécies, mas eles não são inimigos naturais, já que nunca tiveram uma relação de presa e caçador, ou seja, um cão não se alimenta de um gato e vice versa.

O que pode ocorrer nesses casos é uma disputa territorial, em que o cão defendendo o seu pedaço, irá latir e assustar o gato e aí começam as brigas. Um cão assim já não aceita nem outro cão no seu território. Agora quando o animal é mais tranquilo, ele irá cheirar e ficará curioso com o gato, que terá a reação normal de se assustar e esconder, até que sinta que o cão não oferecerá perigo pra ele.

Quando você quiser ter um cão e gato convivendo juntos, é claro que sendo os dois filhotes, será muito mais fácil, mas isso não quer dizer que você não possa introduzir um filhote numa casa onde tem já um animal adulto. Principalmente nos casos onde os cachorros não estranham outros cães.

A aproximação deverá ser feita de forma lenta, deixando o cachorro se aproximar aos poucos e ir cheirando o gato. Depois colocar os dois soltos no mesmo ambiente e observar as reações, sempre com o proprietário por perto. É bom, nessas ocasiões, sempre oferecer petiscos aos dois, para que associem a imagem de um ou outro com coisas positivas. Se o cão tentar avançar, vá repreendendo até que ele se acalme e vá aceitando a presença do gato aos poucos.O gato irá se assustar no começo. É preciso paciência, mas é muito grande a quantidade de casas hoje em dia onde os dois convivem tranquilamente, inclusive na minha onde tenho três gatos e duas cachorras.

Para maiores informações e perguntas, entra la na fan page Isa Casline Veterinária ou me escreva aqui no blog.