Obesidade em cães

Padrão

 

 

 

 

pexels-photo (1)Cachorros gordinhos são bonitinhos de se ver. Mas não são bichinhos 100% saudáveis.

A obesidade é um grande mal também do mundo animal. E assim como em nós, pode causar inúmeros problemas, como problemas cardíacos, diabetes,  problemas osteo articulares, maior risco em anestesia, problemas respiratórios.

Existem muitas causas que podem levar um animal a ser obeso, como funcionamento inadequado da tireóide, das glândulas adrenais, o que levaria a um desequilíbrio hormonal.

Alguns animais tendem a engordar após serem castrados, mas a culpada nao é a esterilização e sim o fato de que o animal se torna mais tranquilo, sem picos hormonais, o que pode fazer com que fiquem mais sedentários e comilões.

O stress também pode levar ao ganho de peso, já que animais ativos acabam ficando sedentários e ansiosos por descuido do próprio dono que deveriam realizar mais atividades físicas com esses animais.

Mas a principal causa ainda é a má alimentação. O gasto calórico acaba sendo menor do que o número de calorias que o animal está consumindo, fazendo com que haja o acúmulo de gordura. Todo mundo conhece cães que comem pizza, carnes gordurosas, pães e massas, e até refrigerante e doces. Esses animais ou já são obesos ou ficarão obesos. Isso se não tiverem intoxicação alimentar antes pelo excesso de alimentação indevida.

E se meu cachorro já for obeso, o que posso fazer?

Primeiro, levar seu animal para uma avaliação veterinária, onde serão pedidos exames para avaliar possíveis alterações hormonais e se não houverem será indicado uma dieta mais adequada para reduzir a gordura

O proprietário é quem terá que ter muito comprometimento com a alimentação adequada do animal e não ficar com dó quando o cão ficar pedindo tudo que as pessoas estão comendo. Isso é uma questão de habituar mesmo o cão.

Começar a exercitar seu cão. Não precisa sair fazendo corridas de léguas com ele. Caminhadas diárias já ajudam bastante. Brincadeiras em casa como correr atrás de bolinha e pega pega também funcionam bem e  diminuem o estresse.

Leve a cada mês ao veterinário para acompanhar o emagrecimento.

Algumas raças são mais predispostas a engordarem como: Pugs, Basset Hound, Labrador, Golden Retriever, Beagles, Bulldogues e outros. Mais atenção a essas raças.

Outras dúvidas? Fale comigo na fan page Na casa do bicho- Isa Casline Veterinária.

 

 

 

 

Posso dividir a ceia de Natal com meu peludo?

Padrão

 

blog_Ivan1981Roo_162774095

 

 

Não, pessoas, não pode!

Embora a intenção seja muito boa, os nossos amigos de quatro patas não estão acostumados as nossas comilanças festivas e alguns ingredientes podem intoxica-los, levando a ter sintomas como diarréias e vômitos.

Uma alternativa seria fazer uma comida natural, já divulgada por muitos sites sobre o assunto, usando alimentos preparados especialmente para eles, que não contenham conservantes, nem temperos fortes.

A carne branca, como chester ou peru, pode ser dada, desde que não tenha temperos.  O arroz branco também, seguindo a mesma linha. Frutas como banana,maçã, podem ser dadas. Estão cortadas as frutas cítricas.

Doces, como panetones, estão descartados da ceia deles. Na sua cidade, podem ter pet shops que vendam panetones feito exclusivamente para cães.

Alimentos gordurosos, como maionese e molhos também não podem ser dados,já que podem levar a uma gastrite aguda, gastroenterite ou mesmo pancreatite aguda, por isso esqueça o salpicão. Esqueça também a uva passa ( quem gosta de uva passa, afinal?)

Fique de olho também para que não seja dada nozes, macadâmias ou castanhas que também podem levar a intoxicações sérias.

Por fim, nem pense em oferecer bebidas alcoólicas!

Tenta todos esses cuidados com seu peludo e assim vocês dois terão um final de ano muito agradável e sem precisar recorrer rapidamente ao veterinário.

Mais dúvidas?? Me escreva aqui no blog ou entre em contato pela fan page Isa Casline Veterinária

 

 

 

 

 

Ossos de frango são perigosos?

Padrão
Safira não resistiu a um osso de frango que foi dado pelo vizinho sem conhecimento da proprietária.

Safira não resistiu a um osso de frango que foi dado pelo vizinho sem conhecimento da proprietária.

Quando eu tinha 8 anos, descobri que sim, esses ossos eram perigosos. Perdi meu primeiro cachorro, um fox paulistinha, que ingeriu um osso de galinha e teve perfuração intestinal. Ele tinha 2 anos.

Essa semana, me deparei novamente com essa situação, quando uma paciente minha, uma Rott de 12 anos, ingeriu um osso de frango, não dado pela proprietária, mas pelo vizinho, que tinha feito churrasco. Só fomos descobrir no ultra som a presença do osso e infelizmente Safira não resistiu, por isso resolvi falar desse assunto.

Ocorre que ao serem mastigados, depois de cozidos ou assados, esses ossos formam lascas( assim como ossos de costela)por terem ficado mais rígidos, que conseguem perfurar o trato gastrointestinal, levando a um quadro muito sério de infecção. O prognóstico nesses casos, mesmo com cirurgia feita a tempo, é sempre reservado, então precisamos ter muito cuidado. Existem alguns ossos que são mais seguros, geralmente que se compram em açougues mesmo, e que são grandes, até com pedaços de tendão e que devem ser oferecidos crus mesmo. Quando o cão desgastar o osso e ele diminuir, troque por outro. Não sei se já comentei, mas não sou nada fã daqueles ossinhos de couro que vendem em pet shop. Também podem ser bem perigosos.

Para outras dúvidas, entre em contato aqui, ou na fan page Isa Casline Veterinária.

Diabetes! Um mal muito comum em pets!

Padrão
Fonte: diabeticool.com

Fonte: diabeticool.com

Muita gente, ainda hoje em dia, não sabe que seu cão ou gato, assim como o ser humano, pode sofrer de diabetes. As pessoas se questionam,já que muitos desses animais diagnosticados, nunca comeram nada que não fosse ração e segundo acreditam, o açúcar seria o fator desencadeante.

A diabetes porém, é uma desordem hormonal muito comum, com predisposição maior em fêmeas e até em algumas raças, podendo aparecer em cães de meia idade ou mais idosos.

O pâncreas perde a capacidade de produzir a insulina, que é um hormônio regulador da glicose e isso normalmente ocorre pela predisposição do animal a ter a doença. Se ele tiver uma má alimentação, isso só irá acelerar o problema, mas mesmo que ele tenha uma alimentação adequada, ela poderá aparecer.

Os sintomas iniciais são silenciosos e muitos proprietários não prestam atenção neles: poliuria e polidpsia( urinar e beber água com muito mais frequência), emagrecimento progressivo, mesmo com apetite aumentado. Alguns ganham peso e numa fase mais avançada, o animal pode apresentar catarata e letargia.

Como estamos falando da Diabete Mellitus , que é a mais comum, o tratamento se dá através de aplicações de insulina, por toda vida, com ajustes da dose e exames frequentes.

Se não for logo diagnosticada, o animal pode vir a óbito rapidamente, por isso, sempre que notar seu animal bebendo mais água, urinando mais do que de costume ou com apetite muito maior, procure o veterinário. O exame é simples e o resultado rápido. O animal convive bem com a doença se tratada adequadamente.

Dúvidas? Entre em contato aqui ou pela fan page Isa Casline Veterinária

Voçês já conhecem as rações sem glúten para cães e gatos?

Padrão
Foto: Shutterstock

Foto: Shutterstock

Estive em um congresso semana passada sobre diversos assuntos da área e percebi na feira que dois stands estavam sendo super visitados; os stands de duas marcas de ração que lançaram rações grain free para cães e gatos. Grain free significa que não tem na sua composição grãos, como trigo e soja, portanto estão livres do glúten, além de não terem conservantes químicos também.

O que eu acho disso? Acho uma ótima proposta, já que sabemos que assim como os humanos, os animais podem desenvolver alergias aos grãos e porque não melhorarmos a alimentação deles, não é?

Uma dessas marcas acrescentou na fórmula vários alimentos, como romã, cenoura, salmão, milho, entre outros alimentos ricos em antioxidantes, o que me atraiu de imediato. Fui lá e peguei umas amostras para usar com os meus bichos, já que tenho cães e gatos. Testei primeiro com os gatos, que tem o paladar mais seletivo e eles simplesmente ficaram alucinados com a ração. Com minhas cachorras não foi diferente. Então, estou prestes a trocar toda a alimentação deles por uma dessas rações grain free, que tem para cães de pequeno, médio e grande porte, como também uma linha completa para gatos.

E vocês? Já experimentaram essas rações? O que acharam?

Conte para mim aqui no blog ou na fan page Isa Casline Veterinária.