O que são miíases?

Padrão

cachorro

 

As miíases , conhecidas popularmente como bicheiras, são infestações de larvas de moscas e mosquitos em locais aonde não está sendo feita uma higiene correta. Por isso, pode se dar em ferimentos que tenham secreção, dentro do ouvido, na boca, em animais idosos que muitas vezes não conseguem se levantar e acabam por fazer suas necessidades neles mesmos.

Existem algumas espécies de moscas que podem infestar esses locais com seus ovos; em muitos dos casos, aparece apenas uma larva grande no local, que é conhecida como ” berne” e em outras vezes são depositados vários ovos e as larvas nascem aos montes, caracterizando a ” bicheira”. A varejeira é a mais comum das moscas causadoras.

O berne causa incomodo mas é muito mais fácil de ser tratado do que uma bicheira que está há dias no animal. Tanto cães como gatos podem ser afetados. Os sintomas incluem dor , inchaço local , e um cheiro característico muito forte, além de secreção muitas vezes purulenta. Quando no começo, ela é tratada rapidamente . Quando está há mais dias no animal, pode ser preciso alguns dias a mais de curativos, limpeza do local e retirada das larvas. É necessário a aplicação de antibióticos e antiinflamatórios, já que o tecido estará contaminado. Hoje em dia, existem no mercado pet, comprimidos que auxiliam nesse tratamento, fazendo com que as larvas sejam mortas, impedindo assim o crescimento da míiase.

Por isso, ao se deparar com a miíase não se desespere, mas leve ao veterinário o quanto antes para que seja feito a limpeza do local e você seja orientado corretamente sobre o tratamento. Quanto maior a demora, maior a bicheira irá ficando e o animal estará em grande sofrimento, já que as larvas literalmente irão ” comer” aquele tecido.

Para mais dúvidas, deixe uma pergunta aqui no blog, ou na fan page Na casa do bicho- Isa Casline Veterinária.

 

Porque vermifugar os peludos?

Padrão

golden-retriever-foto-capa-330x193

 

Fazer a vermifugação do seu pet é uma coisa simples e muito necessária. Mas muita gente acaba esquecendo. Porque então devo me preocupar com a vermifugação, tanto de cães, como de gatos?

Quando filhotes, os vermes podem acarretar maiores prejuízos a saúde, já que fica comprometido o total aproveitamento de nutrientes, podendo levar o animal a presentar anemia, seguida de fraqueza, falta de apetite, queda de imunidade, podendo ser então uma porta de entrada à outras doenças. O filhote ainda pode apresentar vômito e diarréia, fortes dores abdominais e sendo a quantidade de vermes parasitando muito grande, o animal pode vir à óbito.

Em cães adultos, os vermes podem causar também apatia, pelos fracos, e todos os sinas acima citados, porém mais brandos.

Esses vermes podem parasitar o homem também, aumentando ainda mais a importância da vermifugação.

O esquema de vermifugação deve ser feito de acordo com a idade do animal. Quando filhote, devem ser vermifugados assim que desmamam e depois em datas alternadas com as vacinas . Quando adultos, podem ser vermifugados a cada seis meses ou um ano. E atenção para animais que tenham pulga, já que a pulga também transmite vermes. Além de dar o vermífugo, o animal também deverá receber tratamento antipulgas.

O médico veterinário será quem irá te orientar corretamente sobre quais vermifugos a serem dados e em quais datas devem ser dados.

Mais dúvidas, deixe um comentário aqui no blog, ou acesse a fan page Na casa do bicho- Isa Casline Veterinária

 

Porque tanto preconceito contra os felinos?

Padrão

Sem título

Eu já tinha escrito num texto anterior sobre o ronronar dos gatos, sendo esta uma das muitas características que fazem com que os gatos sejam tão incompreendidos e além de tudo, temidos. Existem pessoas que tem verdadeira aversão aos bichanos e eu amante deles desde pequena, vejo o quanto misticismos e desconhecimento a respeito da espécie contribuíram pra esse panorama.

O gato, lá no Antigo Egito, teve seu momento ” DIVO”, onde era adorado como um deus, o que pode ser comprovado em várias estátuas e desenhos da época, que mostram as representações divinas na forma de um gato. Faraós eram mumificados e enterrados com seus gatos. Eram símbolos de liberdade, fertilidade e felicidade.

Representação da deusa Bastet, no Antigo Egito.

Representação da deusa Bastet, no Antigo Egito.

Chegando, então, na Idade Média, os gatos passaram a ser associados a ritos pagãos e o paganismo foi considerado heresia pela Igreja Católica, e assim os gatos passaram a ser vistos como demoníacos, o que causou a morte de muitos deles, que eram inclusive queimados nas fogueiras com suas donas, que eram acusadas de bruxaria( que coisa mais triste). O preto ,era um dos mais temidos, o que gerou muita superstição ao redor dele, que perdura até hoje.

Só que aí, como não haviam mais gatos, o que aconteceu? Era lá pelo século 17, e vocês podem imaginar como eram as condições de higiene da época , os ratos passaram a infestar as cidades, causando doenças que assolaram a Europa, matando milhares. E aí, decidiram que sim, precisavam dos felinos, para eliminar os ratos e eles então voltaram a conviver com os humanos,porém o misticismo continua até hoje.

O que as pessoas precisam entender é que um gato tem um comportamento completamente diferente do cachorro. Eles são muito mais independentes , mas isso não quer dizer que sejam traiçoeiros ou que só gostem da casa e não do dono. Eles são apenas diferentes do cão, não menos amorosos. Eu costumo arriscar e dizer que quem fala isso nunca teve um gato, porque quando tiver, poderá constatar o quanto eles são carinhosos e adoram a companhia dos donos. Só não espere rabos abanando, nem demonstração esfuziante de alegria, porque quem faz isso é um cachorro, mas você também terá um amigo te esperando na porta quando chegar, que pulará no seu colo ronronando de felicidade porque você está ali com ele , ou simplesmente deitado ao seu lado no sofá te fazendo companhia enquanto você lê.

Eu tenho quatro, hoje em dia, e sei bem do que estou falando.

Se tiver dúvidas, entre em contato na fan page Isa Casline Veterinária

Convivência entre crianças e animais

Padrão

10987489_870756309651456_4744201223757467540_n

Desde novinha, sempre gostei de escrever. Escrevia em diários, agendas, cartas para as primas que eram enormes. E aí, me veio a idéia do blog, que juntaria a minha vontade de escrever com a propagação de informações que poderiam ser úteis às pessoas. E eu fico muito feliz que as pessoas estejam me dando idéias para artigos aqui do blog, ou porque tem dúvidas sobre o assunto, ou porque acham interessante.

E hoje eu vou falar de um desses assuntos, que é a convivência entre animais e crianças. Essa pessoa me mostrou um texto que leu na net, onde um pediatra praticamente condenava a convivência intima entre crianças e bichos, enumerando regras a serem seguidas, como por exemplo evitar o livre acesso do animal pelos cômodos todos e deixando claro que o animal poderia transmitir raiva, toxoplasmose, entre outras doenças bacterianas e virais.

Vamos lá! Em primeiro lugar, a pessoa que vai adquirir um animal de estimação para uma criança deve ter os cuidados BÁSICOS, que são a vacinação e vermifugação, que serão explicadas e efetuadas corretamente pelo médico veterinário. Hoje em dia, a grande maioria dos animais ,criados dentro de casa com as pessoas tem vacinas e ainda lembrando que os municípios promovem vacinação antirabica gratuita. Então não é simplesmente convivendo com um cão ou gato que seu filho irá contrair raiva. Quanto a toxoplasmose eu fiz já um post que está disponível aqui. Fala de mulheres grávidas , mas o contágio se dá da mesma forma para todos.

Quanto a reportagem dizer que o animal não possui a ” higiene necessária” para conviver com crianças, quero ressaltar de novo a importância de programas como o Cão Terapeuta, que leva animais a hospitais e asilos, com pessoas imunodeprimidas e debilitadas e que comprovadamente melhoram a qualidade de vida daqueles pacientes. Então, se é bom pra uma pessoa nessas condições, porque seria perigoso para a criança, sendo um animal sadio, vacinado e vermifugado e higienizado regularmente? O post completo sobre terapias assistidas por animais, se encontra aqui.

O que eu sempre ressalto, quando alguém vem tirar dúvidas sobre animais a serem adquiridos para crianças, além dos cuidados básicos já citados, é de que a criança, principalmente as mais novinhas, não sabem direito como segurar ou pegar um cão e gato,e isso pode gerar acidentes, machucando tanto a criança, quanto o animal, então sempre é bom supervisionar esse contato inicial, explicando como o animal deve ser cuidado e tratado.

Se tiverem mais dúvidas sobre esse assunto, pode me escrever aqui na página Isa Casline Veterinária ou aqui no blog.

O sumiço da Pelota

Padrão

1908176_787071708040898_714079020393187695_n

Hoje eu só queria falar da Pelota, aí em cima! Ela é a gatinha da minha prima Vanessa, que a resgatou bem pequena mesmo e a criou na mamadeira. Na ultima sexta feira 13, a Pelota desapareceu. Sim, sexta feira 13!

Sempre postamos coisas nas redes sociais e falamos aos clientes dos perigos de se deixar gatinhos pretos vagando por aí, porque infelizmente ainda tem muita gente ignorante que faz maldade com eles. E muita gente que os usa para rituais em certas crenças. Mas a Pelota, já castrada, nem saía de casa, mal ficava no quintal e nem no muro subia. Alguém, com certeza, já sabendo da bichinha ali, num momento de distração da família, aproveitou e levou a gatinha consigo. Ela, segundo minha prima, era bem tranquila e bobinha.

Posso imaginar o desespero da minha prima, eu também tenho meu pretinho, assim como outros bichanos. No momento o que posso fazer é contar a história dela pra vocês e pedir muito pra São Francisco que ela fique bem!

Muito triste saber que isso pode acontecer com qualquer bicho nosso; que o mundo ainda tá longe no quesito respeito aos animais….

Isa Casline Veterinária

Micoplasmose( antiga hemobartonelose)

Padrão

gato

No post passado, falei sobre as hemoparasitoses que podem acometer os cães. Mas muita gente não sabe é que os gatos podem desenvolver também um tipo de doença trazida pelo carrapato e também por pulgas ou piolhos. Há ainda a transmissaõ transplacentária , quando a gatinha infectada transmite a bactéria aos seus filhotes.

Esta doença se chama micoplasmose. Ela pode ainda estar no animal de forma assintomática, aparecendo apenas quando o animal tem uma queda no seu sistema imunológico, devido a estresse ou outras doenças debilitantes.

Os sintomas incluem apatia, anemia, aumento do baço, febre e emagrecimento progressivo, entre outros.

O diagnóstico se dá através de exames de sangue e também pelo histórico de infestação por pulgas ou carrapatos.

Nos animais assintomáticos,ou com sintomas brandos a doença tende a ser auto limitante, sendo que o organismo reage e elimina a infecção, porém nos casos mais sérios, deve- se utilizar antibióticos , complexos vitamínicos e hidratação do animal através de fluidoterapia.  Evitar sempre que o gato passe por situações de estresse.

Os animais tratados se recuperam da doença, mas se tornam portadores dela pelo resto da vida, e qualquer situação que deixa o sistema imunológico mais debilitado, pode fazer com que a doença retorne.

Qualquer mudançã no comportamento do felino, consulte sempre o veterinário. Dúvidas? Deixe seu recado aqui  ou na fan page Isa Casline Veterinária

Nero e Maria

Padrão

Nero e Maria brincando..

( acessem o vídeo no link acima)

Esse post é só pra mostrar um pouco de alguns dos meus pacientes e contar a historinha deles resumidamente.

O gato preto é o Nero e a rajadinha é a Maria. Eles pertencem à Izilda, a Ju e ao Airton que ainda tem o Nino( gato) e mais dois cachorrinhos. Era fim de janeiro de 2008 quando a Ju abriu a janela do quarto dela e lá estava o Nero,sem família, pequeno mas logo foi recolhido por essa família que já fez tanto pelos animais, os deles, os dos outros e os abandonados que eles ajudaram a resgatar.

A Maria estava ,pequenina também ,abandonada numa casa perto da casa deles, junto com a irmãzinha, no final do ano passado. Não se sabe se a família se mudou e as deixou lá sozinhas ou se as colocaram lá depois. O fato é que tiveram até que pular o portão da casa que não tinha ninguém, e ainda as gatinhas estavam super assustadas e famintas, mas no fim foram todos pra casa da Izilda.

Infelizmente, quem trabalha e ajuda os animais sabe que a maioria deles não tem um final feliz assim, por isso falamos tanto em castração, em posse responsável, mas a verdade é que a situação ideal para eles está ainda muito longe de acontecer.

Bom, mas se você deseja que seu amigo felino ou canino ou até os dois apareçam por aqui , me mandem fotos , vídeos , que eu adorarei contar a história de cada um deles. Se tiverem dúvidas, podem me deixar uma mensagem aqui no blog ou até aqui Isa Casline Veterinária.