Benefícios da castração para os bichanos.

Padrão

72757_Papel-de-Parede-Gatos-Malhados_1280x1024

Veterinário sempre bate muito nessa tecla da esterilização. Tentamos sempre explicar, da maneira mais clara para o proprietário porque é tão importante castrar o seu animal.

Esse post será dedicado à importância de se castrar os felinos.

O número de felinos vem aumentando muito nos últimos dez anos no Brasil, o que anda contribuindo para o aumento da castração destes, que gera um aumento na qualidade de vida dos animais. Mas porque?

Gatos que vivem em casa gostam de perambular pela vizinhança. Quando não são castrados, especialmente os machos, estão sempre demarcando seu território com urina e entrando em brigas com outros gatos da região, o que pode transmitir muitas doenças sérias, além de feridas profundas . Vizinhos reclamam quando o gato usa seu jardim como banheiro e como sabemos, muitos animais podem ser envenenados por isso, além de sofrerem agressões físicas. As fêmeas acabam saindo de casa quando estão no cio , e além de voltarem também feridas, acabam voltando prenhes. É fato que um animal não castrado tem uma qualidade de vida muito inferior, além de uma expectativa de vida menor que aquele animal castrado. O animal castrado não terá necessidade de marcar seu território e nem de acasalar, portanto se tornará um animal mais caseiro. No caso de animais que vivem dentro de casas ou apartamentos, não ocorrerá aquela situação desagradável quando o animal urina por toda parte.

A castração é uma cirurgia simples. Machos se recuperam logo no dia seguinte e as fêmeas levam uma semana para a retirada dos pontos. O centro de controle de zoonozes cadastra tanto cães quanto gatos para esterilização gratuita em clínicas credenciadas, assim como clínicas particulares também fazem esse procedimento. Animais adultos podem ser castrados, mas a idade ideal é ainda quando filhote, sendo a recuperação bem rápida.

Mais dúvidas sobre castração de gatinhos, entre em contato aqui ou na fan page Isa Casline Veterinária

Gatinhos também ficam gripados!

Padrão

shutterstock_171629867

No post anterior , falei da gripe canina, já alertando que os felinos também podem contrair uma espécie de gripe felina. Uma patologia não tem nada a ver com a outra, portanto se seu gato estiver gripado, seu cachorro não corre o risco de pegar ESSA gripe, apenas um outro gatinho.

Antigamente chamada apenas de rinotraqueíte felina e hoje conhecida como complexo respiratório felino , a doença envolve múltiplos vírus e bactérias oportunistas, que podem agir em conjunto ou não. A multiplicação viral pode se dar nas mucosas orais, oculares e ainda no pulmão e traquéia. Os sintomas clássicos são lacrimejamento , secreção nasal e ocular, traquéia inflamada causando tosses e espirros, salivação , úlceras na boca, febre. Pode evoluir para uma pneumonia. Animais imunodebilitados são mais acometidos, como filhotes e idosos.

A transmissão se dá principalmente do contato direto de um gato para outro, mas comedouros e bebedouros também se tornam fontes de transmissão, por isso deve-se ter muito cuidado em lugares com superpopulação de gatos. Os vírus não sobrevivem muito tempo fora do hospedeiro e são bem sensíveis a desinfetantes, então uma boa limpeza do local onde ficam os gatos é importante.

Por ficarem com o olfato prejudicado, se recusam a comer normalmente, o que vai deixando o animal cada vez mais debilitado. Portanto , quando o proprietário notar os primeiros sintomas , não hesite em procurar logo o médico veterinário para que seja bem orientado sobre o tratamento, principalmente porque gatos não podem tomar qualquer medicação, correndo o risco de serem intoxicados se o proprietário resolver tratar por conta própria.

A vacinação feita desde filhotes é a melhor forma de prevenção, principalmente para gatos que tenham acesso à rua.

Para qualquer dúvida, deixe um comentário aqui no blog ou entre na fan page Isa Casline Veterinária.

Por que os gatos ficam eriçados?

Padrão

images (1)

Dentre os muitos comportamentos felinos , que são considerados ” estranhos ” pelas pessoas, este é um dos mais comuns.

De repente, seu gatinho se depara com outro gato, ou outro animal, ou qualquer coisa que ele considere estranho e pronto, ele levanta os pêlos do corpo todo, parecendo maior do que é. E, na verdade, essa é a real intenção dele, já que esse comportamento acontece quando eles se assustam com alguma coisa e não que necessariamente irão atacar aquela coisa. Sendo assim, eles ” aumentam” seu tamanho para o objeto estranho, parecendo ser maior e mais assustador e quem sabe assustar também o possível oponente. Junto ao eriçamento dos pelos, eles também conseguem arquear as costas, formando uma corcova e então, passam a andar de lado. ( quem não se diverte com um gatinho filhote fazendo isso várias vezes?)

Agora , se além de tudo isso o gato ainda apresentar pupilas dilatadas, boca aberta com dentes à mostra e estiver bufando,  a chance de acontecer um ataque é grande. E também há gatos que atacam tendo mostrado eriçamento somente numa faixa estreita sobre a coluna vertebral. Embora ainda há muita gente que acredite nisso, um gato não ataca facilmente e nem á toa, já que o instinto natural dele ao se deparar com algo que o assuste é simplesmente fugir.

Para dúvidas entre em contato através da fan page Isa Casline Veterinária.